História da Cultura

Ana Paula Torres Megiani

 

 

 

 

Possui Graduação em História pela Universidade de São Paulo (1987), Mestrado (1995), Doutorado (2001) e Livre Docência (2015) em História Social pela Universidade de São Paulo. Ingressou como professora do Departamento de História da Universidade de São Paulo em 2003 na área de História Ibérica, onde atualmente ocupa os cargos de Professor Associado desde 3/2015 e Coordenadora do Curso de Bacharelado em História desde 8/2013. Entre 2013 e 2015 foi co-ministrante do Master de Estudios Brasileños, convênio Universidade de São Paulo e Universidade de Salamanca, na área de História do Brasil. É autora dos livros "O jovem rei encantado: expectativas do messianismo régio em Portugal - sécs. XIII-XVI" (Ed.Hucitec, 2003) e "O rei ausente: festas e cultura política nas visitas dos Filipes a Portugal 1581 e 1619" (Ed. Alameda, 2004), e organizadora dos livros coletivos "Inês de Castro: a época e a memória" (Ed. Alameda, 2008), "O Império por escrito" (Ed. Alameda, 2009) e ?O Brasil na Monarquia Hispânica: novas interpretações? (Ed. Humanitas 2014). Possui ainda diversos artigos publicados em livros e periódicos internacuionais. É pesquisadora da Cátedra Jaime Cortesão-FFLCH/USP desde 2002 e responsável pelo convênio FFLCH-USP/Instituto Camóes de Portugal desde 12/2015. Dentre inúmeros projetos de pesquisa, foi pesquisadora integrante do Projeto Temático FAPESP ?Dimensões do Império Português? (2005-2009) e coordenadora do núcleo brasileiro do Projeto ?O Brasil na Monarquia Hispânica. Cultura Política, Negócios e Missionação durante a União das Coroas Ibéricas e a Guerra de Restauração. 1580-1668? (USP-USAL 2012/2015). Possui dois Pós-Doutorados internacionais concluídos: no Instituto de Ciências Sociais-Universidade de Lisboa em 2003 e na Universidade Complutense de Madrid em 2006. As áreas de especialização concentram-se em História da Cultura na Baixa Idade Média e Época Moderna, atuando principalmente nos seguintes temas: história de Portugal e Espanha , memória política, monarquia filipina e união ibérica.
(Texto informado pelo autor)

Sala:N2
E-mail: megiani@usp.br
Curriculum Lattes
Linhas de pesquisa:História da Cultura, Cultura Política História da Arte, Arquitetura e Urbanismo - Mundo Ibérico/Baixa Idade Média e Época Moderna.
Links para alguns trabalhos da docente:

Memória e conhecimento do mundo: coleções de objetos, impressos e manuscritos nas livrarias de Portugal e Espanha, séculos XV-XVII

Das palavras e das coisas curiosas: correspondência e escrita na coleção de
notícias de Manuel Severim de Faria

Orientação dada

Mestrado e Doutorado

Anita Waingort Novinsky


Possui graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo(1956), especialização em Psicologia pela Universidade de São Paulo(1958), especialização em O Racismo no Mundo Ibérico pela Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales(1977), especialização em O Racismo no Mundo Ibérico pela Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales(1977), doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo(1970) e pós-doutorado pela Universidade de Paris I(1983). Atualmente é Livre Docente da Universidade de São Paulo, Consultora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Revisor de projeto de fomento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Revisor de projeto de fomento do Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Tem experiência na área de História. Atuando principalmente nos seguintes temas:Brasil Colonia, Cristao Novo, Historia, Historia do Brasil, Holocausto e Identidade. (Texto gerado automaticamente pela aplicação CVLattes)

E-mail: anitano@terra.com.br
Currículo Lattes
Linhas de pesquisa: História da Cultura

Artigos: 
  • Inquisição. Cristãos Novos na Bahia. 11ª. Edição. Editora Perspectiva, São Paulo, 2007.
  • Gabinete de Investigação: uma “caça aos judeus” sem precedentes. Brasil-Holanda, séculos XVII e XVII. Editora Humanitas, São Paulo, 2007.
  • O Santo Ofício da Inquisição no Maranhão. A Inquirição de 1731. Editora Universidade Estadual do maranhão, São Luiz, Maranhão, 2006.
  • Inquisição: Prisioneiros do Brasil (séculos XVI-XIX). Editora Expressão e Cultura, Rio de Janeiro, 2002.
  • Novinsky, Anita e Kuperman, (org) Ibéria Judaica. Roteiros da Memória. Editora Expressão, rio de Janeiro e EDUSP, São Paulo, 1996.
  • Novinsky, Anita e Carneiro, Maria Luiza Tucci; (org) Inquisição. Ensaios sobre Mentalidades, Heresias e Arte. Editora Expressão e Cultura, Rio de Janeiro, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992.
  • O olhar Judaico em Machado de Assis. Editora Expressão e Cultura, Rio de Janeiro, 1990.
  • Inquisição: Inventários de bens confiscados a cristãos novos no Brasil. Editora Imprensa Nacional. Casa da Moeda, Lisboa, 1978.
  • The Myth of the Marrano Names.:
  • Padre Antônio Vieira, a Inquisição e os Judeus.

Carlos Roberto Figueiredo Nogueira

 

 

 

 

Possui graduação em História pela Universidade de São Paulo (1971) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1981). Atualmente é professor Titular da Universidade de São Paulo e Decano do Departamento de História. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Medieval, atuando principalmente nos seguintes temas: Idade média, Portugal, Espanha, igreja, cristianismo e feitiçaria. Atualmente pesquisa o reinado de Pedro I de Portugal e a Crise do século XIV. Acadêmico correspondente da Academia Portuguesa da História, é coordenador do GEMPO, ligado à Cátedra Jaime Cortesão e integrado por pesquisadores da USP, UFRJ, Universidade de Lisboa, Universidade de Coimbra, Universidade do Porto e l'Université de Poitiers/ Centre de Etudes Superieures de Civilisation Médiévale, cuja Linha de Pesquisa é "Poder e Relações de Solidariedade em Portugal Medieval" http://www.fflch.usp.br/cjc/gempo/ (Texto informado pelo autor)

Sala: O2
E-mail: crfnogue@usp.br
Curriculum Lattes
Linhas de Pesquisa: História Política, História da Cultura, Europa Medieval

Eduardo Natalino dos Santos

 

 

 

 

Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo (USP), entre 1992 e 1995, onde também realizou seu mestrado e doutorado em História Social, entre 1997 e 2005. Fez cursos, estágios e pesquisas bibliográficas na Universidad Nacional Autónoma de México, entre 1998 e 1999 e entre 2002 e 2003, e na Stanford University, em 2004. É professor doutor no Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP desde 2006, onde leciona principalmente as disciplinas História da América Pré-hispânica e História da América Colonial e se dedica a pesquisas sobre as concepções de história e de cosmogonia dos povos mesoamericanos e andinos, de tempos pré-hispânicos e coloniais. Além de vários artigos, publicou seu mestrado com o título “Deuses do México indígena. Estudo comparativo entre narrativas espanholas e nativas” – seu doutorado está no prelo e será publicado até o final de 2009 com o título “Tempo, espaço e passado na Mesoamérica. O calendário, a cosmografia e a cosmogonia nos códices e textos nahuas”. É um dos membros-fundadores do Centro de Estudos Mesoamericanos e Andinos da USP (www.fflch.usp.br/cema), que realiza, desde 2000, atividades sobre História e Arqueologia dessas duas regiões da América Indígena, tais como colóquios, seminários permanentes, grupo de estudo de nahuatl e quéchua etc. Possui também experiência no ensino de História nos níveis fundamental e médio, nos quais trabalhou entre 1992 e 1996 e para os quais escreveu um livro paradidático intitulado "Cidades Pré-hispânicas do México e América Central".

Sala: Corredor
E-mail: natalino@usp.br
Currículo Lattes
Linhas de pesquisa:História da Cultura e História Política / Temas: História da América Pré-hispânica (Mesoamérica e Andes); História Indígena Colonial; Fontes nativas mesoamericanas e andinas (pré-hispânicas e coloniais).

 
Projeto de Pesquisa Atual
 
História e cosmogonia segundo as elites mesoamericanas e andinas: características e transformações em tempos pré-hispânicos e coloniais.
As explicações históricas e cosmogônicas dos povos mesoamericanos partiam de pressupostos bastante distintos dos que fundamentavam o pensamento da cristandade ocidental no início da época Moderna – pensava-se, por exemplo, que o mundo natural havia passado por grandes transformações desde sua criação inicial e que o ser humano havia sido criado mais de uma vez. Além disso, tais explicações empregavam concepções de tempo, espaço e agentes que também eram muito distintas das que pautavam o pensamento dos cristãos – acreditava-se, por exemplo, que a fronteira entre deuses e homens era transponível e frequentemente ultrapassada nos dois sentidos. Sem perceber ou valorizar essas distinções, ou interpretando-as segundo seus próprios pressupostos e cânones, os cristãos que escreveram sobre a história e a cosmogonia dos povos mesoamericanos durante o início do período colonial legaram um conjunto de fontes que tem influenciado fortemente a visão dos estudiosos sobre esses temas, apesar de, muitas vezes, portar mais informações e características do pensamento cristão-ocidental do que do pensamento mesoamericano. Analisar as fontes nativas para detectar e explicar as particularidades das concepções mesoamericanas de tempo, espaço, agente e passado, bem como as funções políticas e transformações dessas concepções durante a passagem do período pré-hispânico ao colonial, foi um dos principais objetivos das pesquisas anteriores, que abordaram centralmente os povos nahuas. Baseando-se nos resultados dessas pesquisas, as novas investigações, realizadas desde 2006, perseguem, basicamente, dois objetivos. O primeiro é analisar as concepções de tempo, espaço e agente nos textos históricos e cosmogônicos dos maias e mixtecos com o mesmo grau de profundidade e detalhamento que dedicamos aos nahuas nas pesquisas anteriores, nas quais as fontes maias e mixtecas foram estudadas de modo secundário, apenas para dar suporte comparativo ao caso nahua. Com isso, será obtido um painel mais equitativo sobre o comportamento desses temas de investigação nas diversas sub-regiões mesoamericanas, o qual permitirá diálogos e debates tanto com a produção acadêmica que trata especificamente de cada sub-região como com a que se dedica a tratar da Mesoamérica de modo mais amplo e geral. O segundo objetivo é estender o tipo de pesquisa realizado sobre a Mesoamérica para os Andes Centrais, a outra macrorregião da América Indígena que contou com sociedades estatais – e, por vezes, expansionistas – no período pré-hispânico, cujas redes de poder e elites dirigentes, assim como na Mesoamérica, foram peças fundamentais para as conquistas “castelhanas” e para o estabelecimento e permanência dos europeus durante o primeiro século do período Colonial. Em outras palavras, o objetivo é investigar, nas fontes nativas, particularidades das concepções de história e cosmogonia das elites andinas, que não se encontram nos escritos de origem cristão-colonial, bem como analisar os principais usos políticos e transformações dessas concepções na passagem do período pré-hispânico ao colonial, mapeando diferenças e semelhanças em relação ao caso da Mesoamérica.

Elias Thomé Saliba

 

 

 

 

Possui Graduação, mestrado e doutorado em História(1982) e Livre Docência em Teoria da História(2000) pela USP. Professor Titular do Depto. de História da USP, desde 1990; especializou-se em História da Cultura, com ênfase no Brasil do período republicano. É pesquisador 1 do CNPq e membro da Associação Internacional de Historiadores do Humor. É professor de Teoria da História na USP desde 1990, onde também foi coordenador da pós-graduação e atualmente desenvolve pesquisas na área de história cultural do humor brasileiro.Publicou ainda artigos e capítulos de livros relacionados à área de Teoria e Epistemologia da História, Metodologia e História da historiografia. Exerceu - e ainda exerce - inúmeras atividades de consultoria em orgãos diversos, instituições de pesquisa (FAPESP, CAPES, CNPq, Instituto Rio Branco do Ministério das Relações Exteriores, MEC e rede SciELO) editoras e participa de inúmeros conselhos editoriais de publicações especializadas nacionais e internacionais. Atua também na área de divulgação científica, sendo colaborador em vários meios da imprensa escrita, com circulação nacional e internacional. Seus estudos, cursos e seminários mais recentes giram em torno da história cultural do humor no Brasil, envolvendo as diversas linguagens da representação cultural. É líder do grupo de pesquisa A polifonia da produção humorística brasileira, certificado pelo CNPq.(site: https://humorhistoria.wordpress.com/) Entre seus trabalhos mais importantes, sucessivamente reeditados, estão o livro Raízes do Riso(Cia. das Letras,3a.ed.,2010); o capítulo A dimensão cômica da vida privada na República IN História da Vida Privada no Brasil, vol. 3 (13 a. ed.,Cia. das Letras, 2015) - e o mais recente, o capítulo Cultura: as apostas na República, que integra o volume 3 de coleção História do Brasil-Nacão, 1808-2010 (Objetiva/Fundaccion Mapfre, 2014).É pesquisador 1 do CNPQ desde 1998. (Texto informado pelo autor)

Sala: J3
E-mail: etsaliba@yahoo.com.br
Currículo Lattes
Linhas de pesquisa: História da Cultura.

Orientação dada
Mestrado e doutorado.

 

Páginas